Bem-vindo!
 
Publicidade
Publicidade
70 - Oscar 2015: Previsões
por Pablo Villaça

Amigos do Cinema em Cena,

foi em dezembro de 2000 que escrevi pela primeira vez sobre o Oscar aqui no site (ou, ao menos, este foi o registro mais antigo que consegui resgatar). Naquela coluna, eu tentava prever quais seriam os indicados anunciados em algumas semanas e, de fato, títulos como Gladiador, Traffic e Erin Brockovich acabaram se confirmando. A partir daí, virou uma espécie de tradição tentar fazer estas previsões: repeti em 2002, 2005 (quando estreei o formato atual de explicar as escolhas), 2006, 2007, 2008, 2009, 2011, 2012, 2013 e 2014. Normalmente, acerto bem mais do que erro – e, como sempre explico, isto se deve não aos meus poderes clarividentes, mas ao fato de que o Oscar, como toda campanha eleitoral, acaba sendo previsível para qualquer um que a acompanhe com atenção.

Este ano, a história é a mesma, mas também um pouco diferente.

É a mesma por podermos limitar os favoritos. E é diferente porque há muitos anos não tínhamos uma corrida tão disputada.

Desde que foi lançado, Boyhood se tornou favoritíssimo ao prêmio – e poucos ousavam questionar esta sua posição. No entanto, à medida que os principais termômetros do Oscar foram sendo anunciados (não, não o Globo de Ouro! Estou falando das estatuetas distribuídas pelas guilds: SAG, DGA, PGA, WGA, etc.), a história foi mudando de maneira curiosa, já que Birdman começou a colecionar prêmios que supostamente deveriam ter ido parar nas mãos de Richard Linklater e companhia. Negar a importância destas premiações é absurdo, claro, mas ao mesmo tempo é difícil negar que Boyhood tem realmente apelo junto à Academia – não só porque Linklater é querido na indústria, mas também em função de sua atípica produção e do belo resultado alcançado pela narrativa.

Para tornar tudo mais complicado, porém, temos que levar em consideração também a metodologia empregada pela Academia para contar os votos, que costuma prejudicar filmes que tendem a dividir o público. Neste sentido, ser colocado na segunda posição da célula de votação é fundamental – e se pensarmos que Birdman e Boyhood dividiram os votantes, não é impossível imaginar que um terceiro filme (O Jogo da Imitação?) poderia se beneficiar. (Publiquei um post no Submarino sobre este sistema de votação.)

Claro que nada disso me impedirá de tentar ler a borra de café no fundo da xícara. (Ah, como de hábito, farei um videocast ao vivo durante o Oscar. Este ano, porém, a transmissão será exclusiva para colaboradores do site. Como se tornar um? Super simples: só clicar aqui para descobrir!)

Filme

Vai vencer: Birdman.

Explicando a escolha: Ou Boyhood. Neste momento, é quase uma questão de atirar uma moeda para cima. Como discuti acima, Birdman venceu prêmios que geralmente coincidem com o Oscar principal, mas Boyhood, além de ter vencido também sua parcela de estatuetas, é um trabalho que divide menos. Por outro lado, entre os títulos premiados nos últimos três anos, dois giravam em torno da indústria cinematográfica: O Artista e Argo. Seria uma tendência? Uma coincidência? Seja como for, é preciso ficar atento também para a possibilidade da divisão de votos, que provavelmente beneficiaria um filme como O Jogo da Imitação.

Qual seria meu voto: Eu atiraria a moeda para cima a fim de decidir entre Boyhood e Birdman.

Se vencer, eu mato um: O Jogo da Imitação.

 

Diretor 

Vai vencer: Richard Linklater.

Explicando a escolha: Justamente por haver uma grande divisão entre Boyhood e Birdman, é bastante provável que a Academia insista no hábito recente de separar os vencedores das duas categorias principais. E, como falei, Linklater é querido pela indústria, tem uma carreira fabulosa e investiu doze anos de sua vida num filme lindo.

Qual seria meu voto: Linklater.

Se vencer, eu mato um: Morten Tyldum, que ocupou o lugar que pertencia a Ava DuVernay.

 

Ator 

Vai vencer: Eddie Keaton. Michael Redmayne. Ok: Eddie Redmayne.

Explicando a escolha: Redmayne venceu o SAG de Ator. Por outro lado, Birdman também venceu na categoria principal do SAG (Elenco) – e como não há “elenco” no Oscar, isto poderia reverter os votos para Keaton. Mas a Academia adora performances que exigem grandes transformações físicas. Por outro lado, Keaton seria o segundo ator mais velho a vencer na categoria e a Academia adora histórias do tipo. Shit. Mas vai dar Redmayne. Acho.

Qual seria meu voto: Michael Keaton.

Se vencer, eu mato um: Benedict Cumberbatch, um ator que adoro em uma performance caricatural num filme medíocre.

 

Atriz

Vai vencer: Julianne Moore.  

Explicando a escolha: Uma performance excelente, mesmo que em um filme mediano. Uma atriz que já foi indicada várias vezes e nunca venceu. Impossível perder. (Por mais que a Academia ame Marion Cotillard, a única com chance de surpreender.)

Qual seria meu voto: Gosto de todas as performances, embora não ache que Felicity Jones mereça uma indicação. Mas tenho um fraco pela femme fatale de Rosamund Pike e daria a ela meu voto.

Surpresa que não me desagradaria: Cotillard.

Se vencer, eu mato um: Eu não chegaria a matar ninguém, mas quebraria o joelho de um estranho se Felicity Jones vencesse.

 

Ator Coadjuvante 

Vai vencer: J.K. Simmons.

Explicando a escolha: Tornou-se o favorito desde a primeira exibição de Whiplash. É um veterano, um character actor, um operário da indústria.

Qual seria meu voto: Gosto de todos os indicados (mesmo Duvall, embora seu filme seja feito do mesmo material que ele deixa escorrer pelas pernas na cena do banheiro). Porém, Mark Ruffalo é um ator que não cansa de surpreender e teve um ano fabuloso que ainda incluiu The Normal Heart. Seria dele meu voto.

Se vencer, eu mato um: Nah. Tô de boa.

 

Atriz Coadjuvante 

Vai vencer: Patricia Arquette.

Explicando a escolha: Doze anos dedicados ao projeto. Uma performance delicadíssima. Outra veterana que nunca havia sido indicada.

Qual seria meu voto: Arquette.

Surpresa que não me desagradaria: Emma Stone.

Se vencer, eu mato um: Eu gosto de Keira Knightley. Mas O Jogo da Imitação não merecia ter sido indicado a absolutamente nada. Terei que punir alguém caso ele ainda ganhe uma estatueta qualquer. (Algo que terei que fazer, como verão a seguir.)

 

Roteiro Adaptado 

Vai vencer: O Jogo da Imitação.

Explicando a escolha: A Academia é estúpida e vai comprar essa fraude. Um roteiro esquemático, repleto de caricaturas, de coincidências absurdas e... ah, peraí. Eu tenho que explicar por que ele vai ganhar, não por que não mereceria. Bom... o filme foi indicado a uma penca de estatuetas e só tem chance de vencer aqui para não sair de mãos vazias. E, infelizmente, duvido que a Academia permita que isso aconteça.

Qual seria meu voto: Whiplash.

Se vencer, eu mato um: O Jogo da Imitação. Podem chamar a polícia.

 

Roteiro Original 

Vai vencer: O Grande Hotel Budapeste.

Explicando a escolha: É um belo roteiro que se beneficia também pelo consenso. Birdman, Foxcatcher e O Abutre tendem a dividir a Academia e Boyhood pode afastar alguns por ter tido um roteiro que foi sendo construído durante as filmagens.

Qual seria meu voto: O Abutre.

Surpresa que não me desagradaria: Birdman.

Se vencer, eu mato um: Gosto de todos os indicados.

 

Filme Estrangeiro 

Vai vencer: Ida.

Explicando a escolha: A briga é entre Ida, cujo tema agrada a Academia e que tem a vantagem de ter sido indicado também por sua Fotografia, e Relatos Selvagens, que tem apelo mais popular. A seriedade e a fotografia de Ida devem fazer a diferença, porém.

Qual seria meu voto: Não vi dois dos indicados e me absteria.

 

Animação 

Vai vencer: Como Treinar Seu Dragão 2.

Explicando a escolha: Com a esnobada sofrida por Uma Aventura Lego, a categoria ficou em aberto. No entanto, Como Treinar Seu Dragão 2 tem uma mensagem de aceitação forte, evita melodrama e teve boa bilheteria.

Qual seria meu voto: The Tale of Princess Kaguya.

Se vencer, eu mato um: Não vi Song of the Sea, mas não odeio nenhum dos outros indicados. 

 

Fotografia 

Vai vencer: Birdman.

Explicando a escolha: Vocês viram Birdman?!?! Ao lado de Roger Deakins, Emmanuel Lubezki é o melhor diretor de fotografia da atualidade e, sim, vai vencer seu segundo Oscar consecutivo depois de anos sendo esnobado. O curioso é que Deakins, que nunca venceu, vai perder sua 12ª. indicação, mas nem eu, que sou seu fã incondicional, consigo defender prêmios para Invencível, que tampouco traz seu melhor trabalho.

Qual seria meu voto: Birdman.

Se vencer, eu mato um: Qualquer um que não seja Birdman.

 

Design de Produção

Vai vencer: O Grande Hotel Budapeste.

Explicando a escolha: Vocês viram O Grande Hotel Budapeste?!!?

Qual seria meu voto: O Grande Hotel Budapeste.

Se vencer, eu mato um: O Jogo da Imitação. (Embora seu design não seja ruim, está a serviço de um filme ridículo.)

 

Figurino 

Vai vencer: O Grande Hotel Budapeste.

Explicando a escolha: Complementa perfeitamente o design de produção, comunica um mundo sobre os personagens, chama a atenção para si mesmo (da melhor maneira possível) e a veterana Milena Canonero (que já venceu três vezes) não é indicada há oito anos.

Qual seria meu voto: O Grande Hotel Budapeste.

Se vencer, eu mato um: Nhé. Categoria sólida.

 

Montagem 

Vai vencer: Boyhood.

Explicando a escolha: Um trabalho de doze anos. Uma história que foi construída mais na montagem do que no roteiro. Como não premiar?

Qual seria meu voto: Boyhood.

Surpresa que não me desagradaria: Whiplash.

Se vencer, eu mato um: Vocês já sabem.

 

Maquiagem 

Vai vencer: O Grande Hotel Budapeste.

Explicando a escolha: Até por eliminação: a maquiagem de Steve Carell em Foxcatcher incomodou muita gente e a de Guardiões da Galáxia traz muitos elementos digitais, o que costuma desagradar (injustamente) a Academia.

Qual seria meu voto: Guardiões da Galáxia.

Se vencer, eu mato um: O Jogo da Imi... ah, não está concorrendo aqui.

 

Trilha Sonora 

Vai vencer: A Teoria de Tudo.

Explicando a escolha: Esta é a categoria na qual sempre enfrento maior dificuldade, já que tendo a gostar de trilhas mais discretas e a Academia ama maniqueísmo.

Qual seria meu voto: O Grande Hotel Budapeste.

Se vencer, eu mato um: Precisa perguntar?

 

Canção Original 

Vai vencer: Glory, de Selma.

Explicando a escolha: Uma bela canção. E o filme tem que ganhar alguma coisa ou a Academia jamais será deixada em paz.

Qual seria meu voto: Glory, já que a de Virunga não foi indicada.

Se vencer, eu mato um: Benedict Cumberbatch.

 

Som 

Vai vencer: Sniper Americano.

Explicando a escolha: Acho muito difícil que não vença a categoria seguinte, Edição de Som – e como a Academia ama Eastwood e o filme não deve ganhar mais nada, é bastante provável que transforme “Som” em combo.

Surpresa que não me desagradaria: Whiplash.

Qual seria meu voto: Birdman, sem sombra de dúvida.

 

Edição de Som 

Vai vencer: Sniper Americano.

Qual seria meu voto: Sniper Americano.

 

Efeitos Visuais 

Vai vencer: Interestelar.

Qual seria meu voto: Planeta dos Macacos: O Confronto.

 

Documentário 

Vai vencer: Citizenfour.

Explicando a escolha: Gosto de todos os indicados, mas Citizenfour é um filme incrivelmente atual e que teve a sorte de testemunhar os bastidores de um dos maiores escândalos da história da política internacional recente.

Qual seria meu voto: CitizenMaier ou FindingFour. Jogaria moeda pra cima.

Surpresa que não me desagradaria: Finding Vivian Maier.

 

Curta Live Action 

Vai vencer: The Phone Call.

Qual seria meu voto: Ainda tenho que assistir a um indicado.  

 

Curta Documentário 

Vai vencer: Joanna.

Qual seria meu voto: Não vi nenhum dos indicados. (Farei isso antes da premiação e publicarei aqui).

 

Curta Animação 

Vai vencer: The Bigger Picture.

Qual seria meu voto: The Bigger Picture.

 

Um grande abraço e bom Oscar!

« Posts anteriores

Últimas Atualizações

Variedades

    Publicidade

    Agora!