Bem-vindo!
 
Em Berlim, Wagner Moura fala sobre PRAIA DO FUTURO
11/02/14 - 17h17
por Manoella Barbosa

direto de Berlim, especial para o Cinema em Cena

Crédito: Manoella Barbosa/Cinema em Cena

Praia do Futuro, filme do diretor cearense radicado em Berlim Karim Aïnouz (Madame Satã, O Abismo Prateado), teve sua estreia hoje no Festival de Cinema de Berlim. Selecionado para a competição oficial, o longa quebra o jejum de seis anos sem participação brasileira nesta que é a seção mais importante do segundo maior festival de cinema europeu.

O filme conta a história de Donato, um salva-vidas introvertido vivido por Wagner Moura (Tropa de Elite, Elysium) que decide abandonar a Praia do Futuro - local que ocupa uma extensão de oito quilômetros em uma região pobre do litoral de Fortaleza - e a família, formada pela mãe, que não é apresentada ao espectador, e pelo irmão mais novo, Ayrton, na fase adulta vivido por Jesuíta Barbosa (Tatuagem).

Donato se apaixona por um soldado berlinense, Konrad, e decide segui-lo em sua cidade natal. Konrad, um homem apaixonado e aventureiro, é vivido pelo ator alemão Clemens Schick, pouco conhecido do público brasileiro e que atuou no filme Cassino Royale, de 2006.

Os anos passam, a relação de Donato e Konrad se desfaz, e Donato vive ainda em Berlim. Ele parece ter apagado por completo o seu passado no Ceará e o irmão, que o idolatrava. Até que um dia Ayrton aparece na capital alemã.

Crédito: Manoella Barbosa/Cinema em Cena
Wagner Moura ao lado de Karim Aïnouz na coletiva em Berlim.

O medo come a alma

O jornalistas presentes na coletiva de imprensa encontraram um elenco e diretor solícitos e interessados. Wagner Moura, Karim Aïnouz , Clemens Schick e Jesuíta Barbosa responderam por pouco mais de uma hora às perguntas dos repórteres, em sua grande maioria representantes da imprensa brasileira.

Vicenzo Bugno, renomado crítico de cinema italiano e membro do Comitê Selecionador da Competição oficial da Berlinale, foi o moderador da coletiva e levantou paralelos entre o filme O Medo Come a Alma (1975), do diretor alemão Michael Fassbinder, e Praia do Futuro. “Eu gosto muito do trabalho do Fassbinder, mas sou um diretor brasileiro”, respondeu Aïnouz de antemão. Porém, assumiu: “Definitivamente, Praia do Futuro é um filme sobre a coragem, é um filme que força os personagens a se movimentarem, a agirem, a se atirarem na água”.

Uma cena em especial exemplifica isso para o diretor: "Gosto muito da cena onde o personagem de Wagner decide ficar em Berlim. É uma cena muito bonita, é o momento onde ele decide se arriscar, onde ele decide começar uma jornada. É libertador.”

O elenco concorda. Para Moura, o personagem de Donato “se aventura, mas comete a falha trágica de se reconstruir em Berlim, querendo apagar o passado. E isso é errado, porque o passado volta na figura do irmão, que vem procurar por ele na Alemanha”.

O jovem ator pernambucano Jesuíta Barbosa, que já havia contracenado com Moura em Serra Pelada (2013), de Heitor Dhalia, também falou sobre o papel da coragem na construção de seu papel: “Assim como o meu personagem, eu também passei dois meses sozinho em Berlim, vivendo em um hostel. Aquela foi a minha primeira viagem internacional. A Fátima [Toledo, preparadora de elenco] trabalhou muito a questão desse afastamento, do estar sozinho e ter garra para continuar. E isso foi fundamental para o personagem.“ Ayrton, o nome do personagem de Barbosa, é, aliás, uma homenagem "a um dos nossos heróis", o piloto de Fórmula 1 Ayrton Senna, revelou o ator.    

Copyright Alexandre Ermel

Fim às margens

As fortes cenas de sexo explícito entre Moura e Schick podem gerar algum mal-estar num país que há pouco tempo parou para debater um inofensivo beijo homossexual no último capítulo de uma novela. Moura ressalta a importância de se tratar o tema com naturalidade: “Não rodamos um filme de amor. Praia do Futuro é basicamente um filme sobre coragem. A relação entre Donato e Konrad é uma parte da história, mas não a principal.”

O ator, que morou dois meses com a família em Berlim durante as filmagens do longa, continua: “O amor entre duas pessoas deveria ser visto com naturalidade. Não foi nossa intenção levantar bandeiras ou quebrar tabus, muito menos rodar um filme homossexual.” O diretor apoia o ator: “A homossexualidade tem uma função dramatúrgica secundária neste filme. Aqui mesmo na Berlinale está passando um filme com alta carga sexual, o Ninfomaníaca, e ninguém está tematizando o nu ou o sexo. Por quê?”, questiona Karim. “Não queremos isso. Acabaram-se as margens,” enfatiza o diretor. 

Praia do Futuro não é o único filme a retratar um amor homossexual na atual edição da Berlinale: o italiano Happy to Be Diferent, o alemão The Circle e o brasileiro Hoje Eu Quero Voltar Sozinho, de Daniel Ribeiro, entre outros, apresentam personagens homossexuais. 

Copyright Alexandre Ermel

O sucesso midiático

O entrosamento entre Moura e Schick é percepível em cada cena. “Além de Lázaro Ramos, o Clemens foi o maior parceiro que já tive em um filme”, contou Wagner. A recíproca é verdadeira: “Quando vi o Wagner pela primeira vez, não fomos muito com a cara um do outro”, assume Clemens, enquanto Wagner ri e concorda com a cabeça. "A amizade veio com o tempo, com o trabalho conjunto, com as filmagens em Berlim, em Fortaleza. Hoje posso dizer que vejo no Wagner um grande amigo”. Moura ri: “Na hora em que caímos na real e percebemos o abacaxi que tínhamos pra descascar, percebemos logo: ou a gente fica amigo ou esse filme não sai", declarou Wagner, arrancando gargalhadas da plateia.

Questionado por uma jornalista brasileira sobre a forma como lida com o sucesso, Moura respondeu: “Isso que é conhecido como sucesso midiático jamais me interessou. Minha intenção nunca foi a de adentrar o mundo das celebridades." E comentou a sua fómula particular de sucesso: "Sucesso para mim é continuar vivendo a minha vida, fazendo as minhas coisas. É poder continuar trabalhando em projetos maravilhosos, visitar festivais onde eu possa divulgá-los. Isso para mim é sucesso.”

Praia do Futuro tem estreia prevista para 1° de maio nos cinemas brasileiros. A primeira sessão para o público da Berlinale está marcada para hoje, às 21h (horário de Brasília). Assista ao trailer:

Coment�rios

comments powered by Disqus
Publicidade

Redes Sociais

Últimas Atualizações

Variedades

    Publicidade

    Agora!